The Legend of Zelda – 1986-2013

Imagem

The Legend of Zelda(ゼルダの伝説) é uma série de jogos eletrônicos da Nintendo, de autoria de Shigeru Miyamoto, mesmo criador de Mario. Os títulos da série se passam no reino de Hyrule, ambientados em um mundo de fantasia, em que a jogatina mistura ação e aventura com elementos de RPG. A série The Legend of Zelda é muito apreciada por suas tramas complexas, quebra cabeças, jogatina e superprodução. O protagonista é um jovem guerreiro Link, que na maioria dos games se lança a uma jornada perigosa para salvar a princesa Zelda e sua missão principal é proteger a Triforce, símbolo entregue ao povo de Hyrule pelas deusas que pode trazer ao mundo uma era de harmonia e prosperidade, mas que pode destruí-lo se cair em mãos erradas. Cada um dos três triângulos possui um significado diferente: Poder(Ganondorf), Sabedoria(Zelda) e Coragem(Link). Para criar a temática de The Legend of Zelda, Miyamoto se inspirou pelas suas andanças quando criança por Kyoto, explorando cavernas e florestas, além de mitologia nórdica e japonesa. O nome Zelda, segundo Miyamoto, vem de Zelda Sayre, esposa do escritor norte americano Francis Scott Fitzgerald. Miyamoto disse ter gostado da sonoridade do nome.

ocarina-of-time-title-screen

Tela principal de Ocarina of Time. O título, lançado inicialmente para Nintendo 64, em 1998, tornou-se imensamente popular, vendendo cerca de 8,6 milhões de cópias no mundo todo. Ocarina of Time foi desenvolvido com base no mesmo motor de jogo de Super Mario 64, porém, com grandes mudanças. Fora adicionado ao game um sistema de pontaria chamado Z-Targeting, que possibilitava destruir inimigos com uma precisão espetacular. Ocarina of Time teve grande reconhecimento, recebendo altas pontuações de entidades como Famitsu, Electronic Gaming Montly, GameSpot e IGN e é considerado como um dos melhores games de todos os tempos.

Personagens de The Legend of Zelda

Link

Link é o protagonista de The Legend of Zelda. Nos games em que aparece, Link é retratado como um menino de 7 a 12 anos de idade mas em outros títulos da série, ele é um homem adulto de 17 ou 19 anos de idade e é caracterizado por suas vestimentas esverdeadas. Levando consigo o título de herói de Hyrule, na maioria dos títulos da série, Link tem como objetivo salvar a princesa Zelda, proteger o reino de Hyrule e a Triforce das ambições do maléfico Ganondorf(Em Majora’s Mask, porém, Link tem em mãos o objetivo de salvar um lugar chamado Termina, dentro do prazo de 72 horas, antes que a Lua caia sobre a Terra e cause um grande desastre). Foi contemplado com a Triforce da coragem, que simboliza sua bravura e determinação de guerreiro em sua jornada como herói de Hyrule para salvar Zelda e derrotar o maléfico Ganondorf. Embora seja muito apontado como Kokiri(caracterizado por suas vestimentas esverdeadas), Link, na verdade é um hyliano, da mesma forma que Zelda.

Princesa Zelda

Princesa Zelda é a princesa de Hyrule e a Guardiã da Triforce da Sabedoria. Seu nome é compartilhado por muitas de suas predecessoras, que levam consigo o nome “Zelda”. Embora a seja a personagem-título da série, Zelda ostenta aquele velho e conhecido estereótipo de “donzela em apuros”, ou seja, Link tem sempre de resgatá-la, porém, ela demonstra sua capacidade em batalha, utilizando habilidades mágicas e Flechas de Luz para ajudar Link. Em Ocarina of Time, Zelda assume a forma de sua alter-ego, Sheik, sobrevivente dos Sheikahs, uma raça extinta, para poder fugir do maléfico Ganondorf, que deseja a todo custo se apossar do poder da Triforce, em Wind Waker, porém, a personagem Tetra é a reencarnação da princesa.

Ganon

Ganon, ou simplesmente Ganondorf, como é conhecido pela sua forma humana, é o antagonista principal de The Legend of Zelda. Ganondorf é o líder da tribo Gerudo, e é o único homem de sua raça, que só recebe uma pessoa do sexo masculino a cada 100 anos. Também conhecido pelo nome de “O Rei das Trevas”, Ganondorf surge épica e inicialmente na história de Ocarina of Time. O vilão, líder dos Gerudo, costumava visitar frequentemente o castelo de Hyrule, representando seu povo(os Gerudo) e demonstrava uma falsa fidelidade ao Rei. Porém, sua aparência obscura e espírito ganancioso despertam a desconfiança da princesa Zelda, que prevê um acontecimento nefasto em seus sonhos(os mesmos de Link), e que prenuncia toda uma onda de acontecimentos futuros na história de Ocarina of Time.

Sonic the Hedgehog – 1991-2013

Imagem

Sonic the Hedgehog, de autoria de Naoto Oshima(大島 直人) e Yuji Naka(中 裕司), é uma franchise de games da Sega que surgiu no ano de 1991. Nos anos 1980, muito antes de Sonic, Alex Kidd fora introduzido ao mundo dos games para concorrer com Mario, mascote da Nintendo, que naquela época estava em ascensão. O personagem e títulos como Alex Kidd in The Miracle World, contido na memória do Master System II brasileiro, renderam sucesso, a ponto de a Sega aproveitar sua imagem de mascote oficial até o surgimento de Sonic the Hedgehog, em 1991, que o substituiu. Desde então, a Sega não investiu mais em qualquer projeto relacionado a Alex Kidd. Resultado: A rivalidade entre Sonic e Mario nos anos 1990 foi muito acirrada, até a chegada do Playstation, da rival Sony, que veio para dificultar a situação para as duas empresas. A Sega até mesmo utilizou um bordão provocativo no comercial do Sega Genesis, que dizia: “Sega Genesis does what Nintendon’t“. No Brasil, a Sega teve apoio da Tec Toy para divulgar seus produtos por aqui, tendo um sucesso esmagador. Porém, no ano de 2001, devido a uma série de fracassos do Sega Dreamcast, a Sega anunciou que cessaria definitivamente a produção de consoles, focando apenas na produção de games para outros consoles. Sonic sobreviveu a seu trágico destino e o melhor, aos poucos fez amizade com Mario, dividindo com o bigodudo seu lugar de direito nas plataformas Nintendo e fez aparições em títulos marcantes como Super Smash Bros. Brawl e Mario & Sonic at the London 2012 Olympic Games.

Sonic_And_Knuckles_GEN_ScreenShot1

Sonic & Knuckles, lançado em 1994, introduziu um sistema de storylines separadas, isto é, podia-se jogar com Sonic ou Knuckles. O personagem Knuckles participou de outros games, como Knuckles Chaotix, Sonic Adventure, Sonic Adventure 2(Battle), Sonic Heroes e Sonic and The Black Knight, sob a identidade de Gawain.

Histórico geral

Sonic tem a missão de salvar o mundo das terríveis ambições do maléfico Dr. Ivo “Eggman” Robotnik, um cientista louco que possui um grande exército composto de badniks, robôs criados com o uso de animaizinhos pequenos como fonte geradora de energia para os mesmos e quer obter as Esmeraldas do Caos para dominar o mundo. Sonic fez amizade com Tails, que se tornou seu parceiro nas batalhas contra o Dr. Eggman, Knuckles, que embora seja erroneamente apontado como vilão em Sonic 3, tornou-se aliado frequente de Sonic em suas aventuras(Knuckles fora enganado pelo Dr. Eggman, que o fez acreditar que Sonic queria roubar sua Master Emerald, quando na verdade era ele o interessado pela grande jóia esverdeada). Em Sonic Adventure 2, Sonic se depara com Shadow, um ouriço cheio de ódio para com toda a humanidade em geral, que possui um único objetivo em mente: vingar-se de todos os humanos em geral, pela morte de Maria Robotnik(Dr. Gerald Robotnik desenvolvera a Forma de Vida Suprema(究極生命体), porém seu interesse inicial era extrair DNA da tal criatura para desenvolver uma cura para uma doença de sua neta, Maria Robotnik, porém, o governo considerou os experimentos do Dr. Gerald como um perigo em potencial para a humanidade e enviou soldados da G.U.N. para interromper estes experimentos. Maria Robotnik foi morta por soldados da G.U.N., enquanto auxiliava Shadow em sua fuga. Desde então, Shadow conjurou vingança contra a humanidade em geral). Sonic e Shadow tornaram-se rivais a partir do momento em que Shadow roubara uma Esmeralda do Caos de um certo lugar, tal ação rotulou Sonic como um criminoso e o mesmo fora confundido com Shadow pelos militares e preso em um certo lugar. Determinado a salvar o mundo de seu trágico destino, Sonic se lança a uma jornada perigosa ao mesmo tempo que tenta limpar o seu nome. Em Sonic the Hedgehog 2006, Sonic se depara com Silver, um ouriço branco vindo de um futuro caótico que quer destruí-lo, erroneamente acreditando que ele seja Iblis Trigger. Durante esta perigosa jornada, Sonic conhece Elise, uma princesa do reino de Soleanna, cujo reino foi atacado por Dr. Eggman, que parece estar interessado no maior segredo da princesa: as Chamas do Desastre. Em Sonic the Hedgehog 2006, a missão de Sonic se resume basicamente a proteger a princesa Elise de ser sequestrada pelo Dr. Eggman ao passo que tenta escapar de ser aniquilado por Silver que insistentemente acredita que ele seja Iblis Trigger. Sonic the Hedgehog tem mais de 20 anos de história e com seus talentos únicos, tornou-se digno de ser um rival à altura de Mario, que foi um dos pioneiros do mundo dos games. Em 1996, quando Mario ingressou no mundo 3D com Super Mario 64, a Sega queria que Sonic seguisse tal tendência da época e lançou Sonic 3D Blast para o Sega Genesis, que teve um razoável sucesso, mas não era convincente o suficiente, devido à conjunção dos péssimos controles com o ponto de vista isométrico. Em 1999, a Sega desenvolveu Sonic Adventure, que embora fosse um ótimo game, não agradou à crítica da mesma forma que o game do rival. Porém, Sonic Adventure 2, de 2001, fora aclamado pela crítica e teve um razoável sucesso, dada a possibilidade de jogar com os três antagonistas do game, Shadow the Hedgehog, Rouge the Bat e o Dr. Eggman.

Nota: Sonic possui uma admiradora secreta chamada Amy Rose, uma ouriça rosada que possui uma paixão súbita por ele e sempre tenta conquistar seu coração de qualquer maneira. Ela surgiu inicialmente em Sonic the Hedgehog CD, em que ela se encontra com Sonic em um ligar chamado Little Planet, mas é capturada por metal Sonic, então, o herói vai em seu encalço para salvá-la e derrotar seu clone maligno e seu criador, o Dr. Eggman. Enquanto que Sonic e os demais personagens receberam pequenas mudanças em seu design, Amy foi totalmente modificada.

Sonic the Hedgehog possui uma alta gama de títulos, dentre os quiais destacam-se Sonic & Knuckles, Sonic Adventure 2(Battle), Sonic Heroes, Sonic and The Secret Rings, Sonic and The Black Knight e Sonic Unleashed, Sonic the Hedgehog 2006 foi elaborado pela Sega para comemorar o aniversário de 15 anos de Sonic, contudo, embora apresente um ótimo enredo, recebeu pesarosas críticas pelo fato de conter inúmeros bugs e falhas. O motivo? Sonic the Hedgehog 2006 teve sua produção muito apressada e(ou) mal finalizada, o que resultou nesses erros. Outra razão para Sonic 2006 ser ojerizado pelos fãs é o romance entre Sonic e a princesa Elise.

Muito antes de Sonic the Hedgehog, Alex Kidd era a estrela principal da Sega

Nos anos 1980 a Sega desenvolveu um game chamado Fantasy Zone, protagonizado por um personagem chamado “Opa-Opa”, uma nave espacial com pernas e que sobrevoava toda tela atirando nos inimigos e obtendo itens especiais. Como a Sega carecia de títulos marcantes naquela época, o personagem Opa-Opa foi rapidamente associado à marca da empresa, tornando-se seu primeiro mascote, posição que dificilmente conseguiria manter por muito tempo, pois a Nintendo, sua principal concorrente, lançou um game que mudou para sempre o mundo dos videogames, Super Mario Bros., que introduz o titular Mario em uma lisérgica aventura para salvar uma princesa raptada. A popularidade de Mario cresceu rapidamente, o que fez com que a Sega elaborasse o personagem ideal para competir com o bigodudo. Assim, nasceu Alex Kidd, um garoto de macacão vermelho, costeletas e orelhas de abano, do ponto de vista físico, o personagem provavelmente foi inspirado no personagem Sun Wukong(孫 語空), do romance chinês Journey to the West(西遊記). Em seu primeiro título, Alex Kidd in Miracle World, de 1986, o personagem utiliza uma técnica chamada Shellcore, que aumenta o tamanho de suas mãos, concedendo-lhe força suficiente para quebrar blocos de pedra e em vez de pular sobre os inimigos, Alex Kidd dava porrada pra valer, além disso, o personagem utilizava diversos power-ups, como um anel que permitia a Alex que soltasse raios de sua mão, um cajado que lhe dá a habilidade de levitar pelo ar, uma máquina de clonagem, que criava vários clones minúsculos do personagem, Alex Kidd também pode utilizar veículos, como, helicóptero, moto e lancha, porém, estes só podiam ser utilizados em fases específicas. Em 1989, Alex Kidd passou a protagonizar uma nova aventura, desta vez para o Sega Genesis: Alex Kidd in the Enchanted Castle, que marcou o retorno dos elementos de Miracle World. Agora, Alex Kidd podia chutar e com o anel equipado, soltava raios pelos pés. Em 1991, o reinado de Alex Kidd como mascote da Sega desmoronou profundamente, com o surgimento de Sonic the Hedgehog, que o substituiu, desde então, a Sega não mais desenvolveu quaisquer projetos relacionados ao personagem Alex Kidd. Em Segagaga, um game sinistro de Dreamcast que foi lançado somente no Japão, Alex Kidd narra sua jornada para destruir um certo mascote de sua companhia rival e da queda de seu reinado como mascote, devido a forte popularidade de Sonic the Hedgehog, o cometa azul da Sega. Enfim, esta é a história de Alex Kidd, um personagem que foi criado com o propósito de destruir um certo mascote bigodudo de uma outra empresa nipônica, mas que foi destruído por um colega de sua própria produtora. Porém, Alex Kidd não foi totalmente esquecido pela Sega e fez aparições em Sega Superstars Tennis e Sega All-Stars Racing.

Super Mario Bros.

Imagem

Super Mario Bros., de autoria do célebre Shigeru Miyamoto(宮本 茂), é uma franchise de videogames que surgiu no ano de 1985. Muito antes de ter sua própria série de videogames, era coadjuvante de um gorila muito astuto e gozador chamado Donkey Kong no fliperama de mesmo nome, Donkey Kong(1981). Mario, ao lado do seu irmão, Luigi, é o protagonista de uma franchise de games em que ele tem de percorrer diversos mundos e derrotar uma horda de inimigos para resgatar a princesa Peach, que assume o papel de donzela em apuros, sendo sempre sequestrada por Bowser, mas que provou ser capaz de chutar o traseiro do lagartão em games como Mario Party e Super Smash Bros. Mario é considerado um dos maiores fenômenos do mundo dos games de todos os tempos, sendo um dos maiores ícones da Nintendo.

Super Mario Bros.

Super Mario Bros.(1985), o primeiro título do Mario lançado para o NES que teve 40,2 milhões de unidades vendidas. O game foi tão bem sucedido que rendeu continuações como Super Mario Bros.: The Lost Levels(1986)(conhecido como Super Mario Bros. 2 somente no Japão) Super Mario Bros. 2(USA)(1988) e Super Mario Bros. 3(1988), este último considerado um dos melhores games do Mario de todos os tempos.

Background

Muito antes de estrelar sua própria franchise de games, Mario era coadjuvante do Donkey Kong em um game de fliperamas de mesmo nome: Donkey Kong(1981). Neste game, Mario tem como missão salvar uma moça bonita chamada Pauline, que foi sequestrada por Donkey Kong. Na época, Mario era chamado Jumpman. Em Donkey Kong Jr.(1982), os papéis se invertem: Donkey Kong Jr. se torna o herói principal e tem de salvar seu pai, aprisionado por Mario. Depois, ambos os personagens tomaram rumos diferentes: Donkey Kong estrelou pela primeira vez sua própria franchise, Donkey Kong Country(1994), cujos gráficos eram exuberantes demais para o poder de processamento do SNES, porém, Donkey, protagonista da série, é cotado como donzelo em apuros nos dois games seguintes, Diddy Kong’s Quest(1995) e Dixie Kong’s Double Trouble(1996). Mario por sua vez, estreou um game chamado Mario Bros.(1983), em que ele e seu irmão, Luigi, atuam juntos para derrotar um conjunto de criaturas detestáveis que se infiltram nos encanamentos. Dois anos mais tarde em 1985, Mario passou a estrelar sua primeira grande aventura no mundo dos videogames, Super Mario Bros., em que ele deve atravessar os mais variados mundos derrotando inimigos para salvar a princesa Peach(Toadstool) capturada por ninguém menos que Bowser. Super Mario Bros. 2(1986), foi lançado no Japão e apresentava fases similares às do primeiro título. Porém o game era duas vezes mais dificílimo que o primeiro e permaneceu restrito ao Japão, até o lançamento ocidental do game para a coletânea de SNES, Super Mario All Stars(1993), em que o este fora renomeado sob o título de Super Mario Bros.: The Lost Levels, uma novidade deste game fora a possibilidade de jogar com Luigi. Super Mario 2(USA)(1988), que fora uma resposta ao Super Mario Bros. 2 nipônico, foi desenvolvido como sendo um rip-off de um game japonês intitulado Yume Koujou: Doki Doki Panic(夢工場ドキドキパニック), também de autoria de Shigeru Miyamoto. Os personagens de Super Mario Bros. 2(USA) herdaram características de seus counterparts de Doki Doki Panic: Peach(Lina) pode flutuar no ar, Luigi(Mama), pode dar saltos mais altos, Toad(Papa), é o mais forte, mas não muito expert ao correr ou pular e Mario(Imajin), tem um pouco da habilidade dos três, sendo o personagem mais balanceado. Foi comprovado também em Super Mario Bros. 2(USA) que Luigi é mais alto que Mario, sendo que em The Lost Levels, os dois são praticamente do mesmo tamanho. Ainda, em Super Mario Bros. 2, os inimigos são Shy Guys, Snifits, dentre outros, que só podem ser derrotados se forem arremessados contra outros inimigos. Em Super Mario Bros. 3(1988), Mario não somente utiliza a Fire Flower ou o Star Man, mas muitos itens que o auxiliam em sua jornada. Além disso, Mario pode pular fases ou mundos utilizando flautas mágicas.

Timeline de Super Mario – Parte 1

Em 1980, a Nintendo ingressou no mercado americano de games com um game de arcades chamado Radar Scope, que mais parecia um Space Invaders com visão tridimensional. Apesar de Radar Scope ter feito um modesto sucesso na America do Norte, fez mais sucesso no Japão, onde era a segunda franchise popular atrás de Pac-Man por algum tempo. Somente algumas unidades de Radar Scope foram vendidas nos EUA, sendo que o resto dos hardwares não vendidos estava empoeirando em um depósito. Minoru Arakawa(荒川 實) se deparou com um grande colapso financeiro, então ele pedira a Hiroshi Yamauchi(山内 博)(1927-2013), o então diretor executivo da Nintendo, para reaproveitar as máquinas inúteis de Radar Scope com a finalidade de transformá-las em um novo game. Yamauchi obviamente concordou, designando a tarefa de idealizar o novo game a Gunpei Yokoi(横井 軍平)(1941-1997), criador da sucessiva série de portáteis, Game & Watch, e seu pupilo, Shigeru Miyamoto. Para desenvolver o tal projeto, a Nintendo estava buscando uma forma de obter uma licença para criar um game baseado na tira cômica, Popeye. Porém, quando isso não aconteceu, a solução foi criar novos personagens que seriam reutilizados em games posteriores. Miyamoto inventou diversos conceitos, mas o resultado final foi um triângulo amoroso entre gorila/carpinteiro/donzela, que se espelhava na rivalidade entre Brutus e Popeye pela bela Olívia Palito. Miyamoto também citou “A Bela e a Fera” e o filme de 1933, King Kong, como referências. Apesar de sua origem como licença de tira cômica ter desempenhado um papel importante, Donkey Kong marcou a primeira vez que uma narrativa para um game eletrônico precedeu a programação do game ao invés de simplesmente ser anexada como algo irrelevante. Yamauchi tinha como alvo primário o mercado norte-americano, então ele exigira que fosse dado um título em inglês. Miyamoto decidiu que o título do game seria o nome do macacão, o qual ele considera o personagem mais marcante. A história de como Miyamoto sugeriu o nome Donkey Kong varia. Uma popular lenda urbana diz que o nome seria originalmente “Monkey Kong“, mas foi soletrado de forma errada ou mal interpretada, devido a um fax borrado ou má conexão de telefone. Outra história afirma que Miyamoto buscou em um dicionário de Japonês-Inglês o significado de “gorila teimoso” ou que “Donkey ” era para gerar uma sensação de “tolo”; “Kong” era uma gíria japonesa comum para “gorila”. Outra afirmação é que Miyamoto trabalhou com o gerente de exploração da Nintendo para criar o título e que “Donkey” deveria representar “estúpido e idiota”. Muito antes de Mario(originalmente intitulado “Jumpman”) se tornar o mascote da Nintendo, o sucesso de Donkey Kong(1981) foi atribuído ao personagem-título, Mario foi pouco reconhecido. Houve até mesmo uma versão de Donkey Kong para o Game & Watch, um portátil de tela de cristal líquido, que segundo alguns dados técnicos, foi o precursor dos portáteis Game Boy e Nintendo DS. Em sua próxima aparição, Donkey Kong Jr.(1982), Mario tornou-se o vilão e Donkey Kong Jr. o herói. Miyamoto queria que Mario fosse seu “paus pra toda obra”, um personagem simples, com uma aparência modesta que pudesse se encaixar em qualquer jogo que fosse preciso. Miyamoto desenhou o personagem ideal, usando soluções criativas para os problemas que os 8 bits lhe proporcionavam. Mangas compridas tornavam o corpo mais visível, um bigode grosso aparecia mais que uma boca e ressaltava o enorme narigão. Miyamoto deu-lhe também um chapéu, para não se preocupar em desenhar cabelo (coisa que não costumava fazer) e eliminar a necessidade de animar o mesmo durante os pulos. Porém, a profissão de Mario não colou muito bem, um colega de Miyamoto lhe disse que Mario mais parecia um encanador do que simplesmente carpinteiro. Seguindo esta ideia, Miyamoto desenvolveu um game diferente, Mario Bros.(1983), colocando Mario em um esgoto cheio de tartarugas, caranguejos e moscas na sua terceira aventura. Miyamoto elaborou inclusive, um personagem idêntico a Mario, denominado Luigi. No game, jogadores pulavam plataformas, socavam plataformas para derrubar bichos rastejantes e os chutavam para fora da tela para receberem moedas douradas como recompensa. E ao passo que se avançava de fase a dificuldade aumentava consideravelmente. Porém, Mario Bros. fez um sucesso modesto. Os arcades geralmente tinham um tempo de vida muito ínfimo, e Yamauchi queria levar a Nintendo para o mercado de games caseiros, mais lucrativo. A Nintendo lançou seu próprio console(NES) e com o mesmo, conquistou o mercado americano. Mario e Luigi deixaram o mundo dos encanamentos para trás, ingressando no Mundo dos Cogumelos(Mushroom Kingdom), em que seriam protagonistas de uma nova e emocionante aventura.

Time Line de Super Mario – Parte 2

Shigeru Miyamoto elaborou Donkey Kong(1982) e Mario Bros.(1983) como legítimos games de plataforma, porém, ele queria mais, queria criar um game diferente, com um toque de aventura e espírito desbravador, e acabou por criar Super Mario Bros.(1985). Houve uma grande atenção no que diz respeito à criação dos desafios do Mushroom Kingdom. Miyamoto quis que a experiência de jogo fosse perfeita e estivesse em constante evolução. Somam-se aos elementos de jogabilidade trampolins, que impulsionam Mario para o alto e canos, que atuam como um sistema de locomoção entre as fases e suas zonas subterrâneas. Os Goombas, considerados como os traidores do Mushroom Kingdom, não têm a menor chance contra Mario e são sempre pisoteados por ele, já os Koopas, são arremessados sem direção quando Mario pisa em seus cascos, até mesmo sendo chutados contra outros Koopas. Em sua aventura, Mario encontra em seu caminho além de Goombas e Koopas outros inimigos, como os Bullet Bills, que se impulsionam em direção a Mario, Cheep Cheeps, peixes que pulam por todo o cenário, atrapalhando o trajeto de Mario e Buzzy Bettles, que são praticamente invencíveis contra as bolas de fogo de Mario. Mario utiliza três itens que o auxiliam em sua jornada, um cogumelo vermelho que o faz crescer, Fire Flower, uma flor especial que concede a Mario a habilidade de disparar bolas de fogo e o Star Man, uma estrela que lhe dá invencibilidade temporária(Neste ínfimo espaço de tempo, Mario pode passar diretamente por inimigos, abatendo-os). O enredo de Super Mario Bros. não tem muita profundidade, mas é contado da seguinte forma: Um dragão-tartaruga muito desagradável chamado Bowser, ou King Koopa(Baseado no demônio-tartaruga Kappa, da mitologia japonesa), sequestrou a princesa Peach(na época intitulada Toadstool), tudo com o pretexto de conquistar o Mushroom Kingdom. Mario e Luigi são escalados para salvar a princesa do tirano. No ano seguinte, Miyamoto elaborou a sequela do primeiro game, Super Mario Bros. 2(Japan), que manteve o mesmo design do primeiro game e a possibilidade de jogar com Mario ou Luigi, não existindo o modo para dois jogadores. Super Mario Bros. 2(Japan) traz novidades, como o Poisonous Mushroom, que reduz Mario e Luigi de tamanho. Além disso as Warp Zones Reversas levavam o jogador para fases anteriores, havia inimigos com mais habilidades e 5 mundos secretos. Porém, Super Mario Bros. 2(Japan) era considerado muito difícil, por isso, a Nintendo decidiu não lançar o game no ocidente, relançando-o anos mais tarde como Super Mario Bros.: The Lost Levels, para a coletânea de games remasterizados do Mario denominada Super Mario All Stars, do SNES. Em 1988, a Nintendo lançou Super Mario Bros. 2(USA) como um rip-off de um game japonês Yume Koujou Doki Doki Panic(夢工場ドキドキパニック), que também foi desenvolvido por Shigeru Miyamoto. Os personagens de Super Mario Bros. 2(USA) herdaram características de seus counterparts de Doki Doki Panic: Peach(Lina) pode flutuar no ar, Luigi(Mama), pode dar saltos mais altos, Toad(Papa), é muito forte, mas não muito habilidoso ao correr ou pular e Mario(Imajin), tem um pouco da habilidade de cada um, sendo o personagem mais balanceado. Em Super Mario Bros. 2(USA), também pôde ser comprovado o fato de que Luigi é mais alto que Mario, sendo que em Super Mario Bros. 2(Japan), os dois são praticamente do mesmo tamanho.

Timeline de Super Mario – Parte 3

Em 1988, a Nintendo lançou Super Mario Bros. 3 para o NES. Diferente dos demais, este apresentava em cada mundo mapas com o aspecto panorâmico de The Legend of Zelda, mostrando as diversas fases e a possibilidade de pulá-las. Porém, algumas fases só podiam ser puladas com um item especial chamado Lakitu’s Cloud. Em Super Mario Bros. 3 também existe a possibilidade de pular os mundos utilizando flautas mágicas, mas esta é outra história. Os inimigos clássicos de Super Mario Bros. e The Lost Levels retornaram, bem como novos inimigos foram adicionados, como Buster Beetles, Boo(fantasminhas que perseguem o Mario quando este vira de costas), Chain Chomps, Fire Bros. e os Boomerang Bros., que atiram bumerangues contra Mario. Além disso, Mario tem como missão devolver aos reis de cada mundo os cetros que lhes foram roubados pelos Koopalings, filhos de Bowser. Muito antes de ser lançado nos EUA, Super Mario Bros. 3 apareceu no filme The Wizard(“O Gênio do Videogame”), como prova final entre o participantes numa competição de videogames. Super Mario Bros. 3 é considerado um dos melhores games do Mario de todos os tempos. Em 1989, Mario, deu as caras no Game Boy, protagonizando Super Mario Land. O título é baseado nos tradicionais games 2D da série, entretanto não é uma sequência direta ou legítima da série Super Mario Bros., do NES. Super Mario Land introduz o titular Mario em sua missão para salvar a princesa Daisy do Reino de Sarasaland. Foi o primeiro game do Mario que não teve a participação ativa de Miyamoto. Em 1991 a Nintendo lançou Super Mario World para o SNES. Em Super Mario World, Mario recebe um novo item, a Cape Feather, que da mesma forma que a Raccoon Leaf, concede a Mario a habilidade de voar, os Koopalings retornam, e como sempre, Mario deve percorrer todos os sete mundos para derrotar Bowser e salvar a princesa Peach. Além disso, Super Mario World possui fases com duas saídas, e fora incluído um mundo secreto chamado Star World, que leva Mario para 5 localidades distintas se todas as fases do Star World forem concluídas.

Timeline de Super Mario – Parte 4

No primeiro instante em que o Playstation, da Sony, foi lançado no mercado, em 1994, o SNES tornou-se completamente ultrapassado. A Nintendo precisava de uma nova ideia. Depois de passar cinco anos trabalhando no cancelado Super Mario FX, Miyamoto percebeu que os games tridimensionais tinham um grande problema: onde colocar a câmera. Fases lineares utilizam uma câmera fixa e os títulos em três dimensões estavam utilizando essa lógica, mas Miyamoto resistiu. Os jogadores queriam liberdade para explorar e precisavam de uma câmera que pudessem manipular como bem entendessem. Isto, porém, exigia um tipo de controle diferente do que a Nintendo utilizava há mais de uma década. Em 1996, a Nintendo trouxe ao público, Super Mario 64. Miyamoto desenvolveu o game mais revolucionário e tecnicamente avançado da época. Pela primeira vez, Mario estava vivenciando as experiências de um universo em três dimensões. Atraido ao castelo da Princesa Peach pela promessa de um bolo grátis, Mario faz uma descoberta ainda pior: Bowser sequestrou a princesa Peach e roubou 105 das 120 estrelas do castelo. Super Mario 64 se inicia do lado de fora do castelo, livre de perigos para acostumar os jogadores com o novo estilo, dai, eles se infiltravam nos inúmeros quadros do castelo para recuperar as estrelas perdidas. Super Mario 64 continua sendo um dos games mais aclamados de todos os tempos, definindo todos os padrões que os games em estilo 3D ainda seguem. Provavelmente Super Mario 64 servira como base fundamental para o desenvolvimento de The Legend of Zelda: Ocarina of Time, mas esta é outra história.

Timeline de Super Mario – Parte 5

Seguindo a orientação de Yamauchi, os engenheiros da Nintendo desenvolveram um console mais barato(Game Cube), e com melhor facilidade para desenvolver jogos. Sua filosofia tinha fundamento: ele queria acesso fácil ao sistema e muitos jogos fantásticos para rivalizar com o catálogo crescente do PS1. Porém, como diretor da Nintendo EAD, Miyamoto tinha o péssimo hábito de adiar projetos fracos ou mesmo cancelá-los. Super Mario 128 foi uma série de projetos da Nintendo com experiências sobre novas tecnologias e idéias para uma sequela de Super Mario 64. Muitas das inovações técnicas e ideias apresentadas foram incluídas em outros games da empresa como o recurso da “geração rápida”, visto mais tarde em um game chamado Pikmin e o “sphere walking”, que foi implementado em The Legend of Zelda: Twilight Princess e em Super Mario Galaxy. Porém Super Mario 128 fora apenas uma demonstração do poder do Game Cube. Luigi, por sua vez, foi escalado para ser protagonista de um game chamado Luigi’s Mansion, em que ele atua como um caça-fantasmas enquanto procura desesperadamente por Mario, seu irmão, que desapareceu misteriosamente, por sinal, Luigi’s Mansion foi o título de lançamento mais vendido do Game Cube. Porém, Mario chegou a um ponto em que a chuva de spin-offs ofuscava o show principal, a maioria estrelando coadjuvantes e tornando-se séries de sucesso por si próprias. Yoshi tornou-se protagonista de Yoshi’s Island, Wario, por sua vez, demonstrou todo seu carisma de vilão, isto é, anti-herói, em séries como Wario Land e Wario Ware. Peach, a princesa que sempre era sequestrada por Bowser, roubou a cena e com a ajuda de um guarda-sol mágico, percorre os mais diversos mundos para resgatar Mario em Super Princess Peach, derrubando o paradigma que dizia que toda princesa é uma donzela em apuros, ou seja os papéis se inverteram. A ausência de um game sólido do Mario prejudicava bastante a situação do Game Cube. Enquanto conceitos iam e vinham pela EAD, alguns programadores empolgados brincavam com um novíssimo programa de codificação de física de líquidos, construindo um jogo rudimentar cuja mecânica de jogo se baseava no uso de um dispositivo borrifador de água. Demorou cerca de três meses para todos se convencerem que este seria o novo game do Mario. E um game totalmente diferente. Mario e Peach saem de férias, saíndo do Reino dos Cogumelos para desfrutar da paz e tranquilidade de um resort tropical chamado Delfino Island, até que um misterioso impostor do nosso herói bigodudo faz uma grande bagunça no local, rotulando Mario como responsável pelo incidente e o pior, Peach é sequestrada mais uma vez. Mario foi condenado a limpar toda a bagunça que seu sósia do mal fez e durante sua nova tarefa ele faz amizade com F.L.U.D.D. um espirrador de água desenvolvido pelo professor E. Gadd, e percorre toda a ilha para salvar a princesa Peach mais uma vez. Super Mario Sunshine, lançado em 2002, foi pretendido para ser o verdadeiro sucessor espiritual do Super Mario 64, porém devido o péssimo desempenho do Nintendo Game Cube, e diversos outros fatores o título fez um sucesso regular, amargando o segundo lugar atrás do Super Smash Bros. Melee no que diz respeito a vendas.

Timeline de Super Mario – Parte 6 (Final)

Em 2006, surgiu o Nintendo Wii, e no ano seguinte veio Super Mario Galaxy, o verdadeiro sucessor espiritual do Super Mario 64. Foram onze anos de espera, mas que valeram a pena. O enredo é o mesmo: Bowser sequestra a princesa Peach, arrancando seu castelo de seu alicerce com o uso de uma nave espacial. Mario tenta resgatá-la juntamente com o castelo, mas é detido por Kamek, o Magikoopa, que o lança sem rumo para uma parte da galáxia. Ao despertar, Mario se depara com as Lumas e Rosalina, a guardiã dessas pequenas estrelas. Em Super Mario Galaxy, Mario percorre os mais variados mundos pelo espaço sideral, cada qual com um desafio diferente e coleta estrelas, como em Super Mario 64. Além disso, os movimentos de Mario são executados pelo Wii Remote e Nunchuk e enquanto que muitos dos movimentos de Mario vieram do Super Mario 64, o movimento mais comum é o Star Pointer, que aparece na tela(ao passo que o Wii Remote está apontado para a tela) pelo resto do game e marca a posição de determinadas coisas e é controlado pelo Wii Remote. Outro movimento do Mario é o “rodopio”, que fora utilizado inicialmente em Super Mario Bros. 3 e posteriormente em Super Mario World, com este movimento, Mario pode abater inimigos e quebrar objetos. Em 2010 a Nintendo lançou Super Mario Galaxy 2, que manteve o mesmo design estilístico e jogabilidade do primeiro, contudo com novos desafios e se tornou um grande sucesso, sendo fortemente aclamado pela crítica e recebeu altas pontuações de sites como a Famitsu(37/40), GameSpot(10/10) e Metacritic(97/100). Hoje em dia, Mario tem uma grande legião de fãs, sendo um dos personagens mais aclamados do mundo dos games e teve uma grande evolução, desde o primeiro título, de 1985, até os atuais e a tendência é evoluir para um nível mais alto. Mario é e sempre será lembrado como um dos ícones que mudaram para sempre o mundo dos videogames e como o fenômeno que conquistou meio mundo, com seus feitos e proezas espetaculares como o herói do Reino dos Cogumelos.

Mega Man – 1987-2013

Imagem

Mega Man, também conhecido pelo nome de Rockman(ロックマン), é uma franchise de videogames estrelada pelo personagem homônimo Mega Man, de autoria de Keiji Inafune(稲船敬二). A série é muito famosa, por seus mais de 50 games diferentes lançados, sendo a franchise mais produtiva da Capcom. O primeiro game e suas sequelas compõem a série original de games e spin-offs, mas foram criadas várias sub-séries e spin-offs que se passam no mesmo universo fictício. Segundo Inafune, idealizador de Mega Man, a fonte de inspiração para a criação do herói foi o personagem Astro Boy(鉄腕アトム), de Osamu Tezuka(手塚 治虫). Além disso, Mega Man seria originalmente vermelho e não azul; A decisão da mudança de cor se deu ao fato de que o azul tinha mais tonalidades na limitada paleta de 54 cores do NES. Megaman_Starforce_3_full_255327

Mega Man Starforce 3 foi lançado em 2009 para o Nintendo DS. O título foi dividido em dois subtítulos, Black Ace e Red Joker. Toda a trilogia Starforce apresenta um módulo de combate em modo de 3ª pessoa, originário de Mega Man Legends.

Histórico Geral (Atenção, este artigo contém Spoilers !!)

A série clássica é dividida em 11 títulos principais, seguida de suas versões para Game Boy e PC. A série clássica é a origem da história, onde Mega Man é a primeira parte, seguido de suas dez sequelas diretas. Mesmo antes da história chegar ao fim, a série avançou para a saga Mega Man X, e sucessivamente Mega Man Zero, ZX e Legends. Já foi confirmado que a série Legends é a última cronologicamente, cujos eventos ocorrem muito após Mega Man ZX, mas não se sabe ao certo quanto tempo. A série Battle Network existe em um universo paralelo(onde floresceu a tecnologia de redes em vez da robótica), sendo sucedida pela trilogia Mega Man Starforce. O livro Rockman Perfect Memories descreve claramente a ordem cronológica das sagas X e Legends, bem como as sagas Zero e Battle Network, que eram novas. Embora as sagas ZX e Starforce, as sub-franchises mais recentes, não tenham sido citadas no livro, a Capcom deixou claro a época em que cada game se passava.

Background

Na série clássica do Mega Man, dois cientistas brilhantes, Dr. Thomas Light e Dr. Albert W. Wily, estavam desenvolvendo juntos projetos de robôs superiores a quaisquer outros já criados. Um dia, quando somente o Dr. Light recebeu o reconhecimento pela criação dos Robot Masters, Dr. Wily enlouqueceu e quis vingança, exilando-se por um tempo. Dr. Light, desenvolveu o primeiro de seus robôs, Proto Man(DLN-000)(Provavelmente, Proto Man foi o primeiro robô do universo de Mega Man a ter a capacidade de raciocinar e tomar suas próprias decisões, o segundo fora Mega Man X), mas este possuía um defeito em seu reator de energia solar que poderia destruí-lo caso não fosse reparado a tempo, Porém, Proto Man, sabendo que os reparos resultariam em alterações indesejadas, não permitiu que o Dr. Light fizesse reparos em seu sistema, e desertou o laboratório do Dr. Light, perambulando sozinho pelo mundo, até ser encontrado pelo Dr. Wily, que lhe fez alterações, trocando seu reator solar por um nuclear, dando-lhe inclusive um escudo(Proto Shield) e um capacete com visor que esconde seus olhos(Na série animada americana da Ruby-Spears, Dr. Light desenvolve um robô superdotado, porém, este apresenta um defeito em sua programação lógica, tornando-se totalmente agressivo. Dr. Wily, percebendo o potencial do pequeno protótipo, tomou-o para si e modificou-o, criando Proto Man, ou desenvolveu o mesmo com base nos projetos do protótipo; a origem de Proto Man na série da Ruby-Spears é um grande mistério e este, diferente de seu counterpart do mundo dos games, auxilia o Dr. Wily em seus planos de dominação mundial, tendo uma forte rivalidade com Mega Man). Dr. Light, por outro lado, aperfeiçoou o reator solar e criou dois Robot Masters, Mega(Rock)(DLN-001) e Roll(DLN-002).

Mega Man (ロックマン) – 1987(US, JP)

Dr. Wily rouba do Dr. Light seis robôs, Cut Man(DLN-003), Guts Man(DLN-004), Ice Man(DLN-005), Bomb Man(DLN-006), Fire Man(DLN-007) e Elec Man (DLN-008), reprogramando-os para utilizá-los em seus planos de dominação mundial. Dr. Light, ao ver seus próprios robôs causando grandes atrocidades, modificou Mega, seu assistente, em um super-robô de combate denominado Mega Man, que se prontificou a lutar pela justiça e a proteger humanos e robôs, esmagando as ambições do Dr. Wily. Nota: Time Man(DLN-00A) e Oil Man(DLN-00B) aparecem em Mega Man Powered Up como novos Robot Masters. Diferente de Time Man, que teve grande aceitação do público, Oil Man fora alvo de críticas muito pesarosas, considerando o fato de que seu design original japonês simbolizava racismo(Oil Man, na versão japonesa de Mega Man Powered Up, é totalmente negro com lábios rosados, com base no estereótipo de um movimento teatral americano chamado BlackFace). Na localização americana de Mega Man Powered Up, Oil Man se tornou azul-escuro com lábios amarelados.

Mega Man 2 (ロックマン2 Dr.ワイリーの謎) – 1988(JP), 1989(US)

Derrotado anteriormente, Dr. Wily, para se vingar, constrói uma nova fortaleza e novos Robot Masters, Metal Man(DWN-009), Air Man(DWN-010), Bubble Man(DWN-011), Quick Man(DWN-012), Crash Man(DWN-013), Flash Man(DWN-014), Heat Man(DWN-015) e Wood Man(DWN-016). Dr. Light envia Mega Man para solucionar o caso. Mega Man enfrenta um a um os novos Robot Masters e os derrota, prosseguindo para o novo castelo do Dr. Wily, derrotando cada inimigo em seu caminho, até chegar ao Dr. Wily. Mega Man derrota o maléfico tirano, mas este consegue fugir. Nota: Mega Man 2 foi o primeiro game da franchise a adotar o sistema de Passwords, o que possibilitava chegar até os últimos estágios do game sem precisar passar pelos 8 Robot Masters. Porém, o chefe da quarta área do castelo do Dr. Wily, BooBeam Trap, requer muito profissionalismo do jogador para ser derrotado.

Mega Man 3 (ロックマン3 Dr.ワイリーの最期!?) – 1990(JP, US)

Mega Man 3 toma lugar em um ano indeterminado do século XXI. Dr. Wily se reporta ao Dr. Light, dizendo-se arrependido de seus atos e se une ao mesmo para desenvolver projetos de paz. Porém, ardiloso e pretensioso como sempre, Dr. Wily toma para si o super-robô Gamma e os 8 novos Robot Masters, Needle Man(DWN-017), Magnet Man(DWN-018), Gemini Man(DWN-019), Hard Man(DWN-020), Top Man(DWN-021), Snake Man(DWN-022), Spark Man(DWN-023) e Shadow Man(DWN-024). Dr.Light convoca Mega Man novamente para a sua rotina de sempre: Derrotar o Dr. Wily e salvar o mundo da destruição. Nesta nova aventura, Mega Man conhece Proto Man, que o desafia em lutas para saber se ele é capaz de deter o Dr. Wily. Mega Man se infiltra no novo castelo do Dr. Wily e os dois têm uma luta. Vencido no primeiro Round, Dr. Wily utiliza o super-robô Gamma, como último recurso, mas a determinação de Mega Man fora essencial para mais uma derrota colossal do maléfico doutor.

Mega Man 4 (ロックマン4 新たなる 野望!!) – 1991(JP), 1992(US)

Em Mega Man 4, Dr. Mikhail Sergeyevich Cossack envia uma mensagem ao Dr. Light, clamando que é o melhor engenheiro de robótica de todo o planeta e que enviou seus robôs, Bright Man(DWN-025), Toad Man(DWN-026), Drill Man(DWN-027), Pharaoh Man(DWN-028), Ring Man(DWN-029), Dust Man(DWN-030), Dive Man(DWN-031) e Skull Man(DWN-032), para dar cabo de Mega Man. Dr. Light envia seu pupilo robótico mais uma vez para a batalha. Mais a frente, Mega Man infiltra-se na base do Dr. Cossack e depois de muitas batalhas, depara-se com o Dr. Cossack e os dois têm uma luta, que é interrompida por Kalinka(a filha do Dr. Cossack) e Proto Man. A garota implora a Mega Man que não continue confrontando seu pai e relata que o Dr. Wily(supostamente dado como morto ao término de Mega Man 3) a sequestrou para forçar seu pai a colaborar com ele na sua empreitada para dominar o mundo. Mega Man se dirige ao novo castelo do Dr. Wily e o derrota novamente.

Mega Man 5 (ロックマン5 ブルースの罠!?) – 1992(JP, US)

Em Mega Man 5, Proto Man(Dark Man IV disfarçado), envia seus camaradas, Gravity Man(DWN-033), Wave Man(DWN-034), Stone Man(DWN-035), Gyro Man(DWN-036), Star Man(DWN-037), Charge Man(DWN-038), Napalm Man(DWN-039) e Crystal Man(DWN-040) para atacar a cidade e sequestra o Dr. Light. Mega Man vai ao encalço dele, infiltrando-se na base de Proto Man, onde ele enfrenta os três primeiros Dark Man e o derrota, chegando até o falso Proto Man, que lhe dá um disparo quase fatal. Eis que surge o verdadeiro Proto Man, que desmascara o impostor e dá uma lata especial de energia a Mega Man para que este se recupere. Mega Man se digladia com Dark Man IV, derrotando-o, e parte para o novo castelo do Dr. Wily. Depois de muitas batalhas, Mega Man se depara com Dr. Wily e o derrota novamente, mas o vilão consegue fugir. Mega Man resgata o Dr. Light, mas o castelo do Dr. Wily começa a ruir, eis que Proto Man os ajuda secretamente a escapar do desmoronamento do castelo e desaparece sorrateiramente, ciente de que havia sido definitivamente inocentado.

Mega Man 6 (ロックマン6 史上最大の戦い!!) 1993(JP), 1994(US)

Um poderoso magnata, Mr. X, promove um torneio do qual participam os maiores engenheiros da robótica e seus guerreiros robóticos. Dr. Light, por ser pacifista, decide não participar e envia Mega Man para investigar a trama por trás desse torneio. Próximo ao término do evento, Mr. X anuncia que reprogramou os oito robôs finalistas do torneio, Blizzard Man(DWN-041), Centaur Man(DWN-042), Flame Man(DWN-043), Knight Man(DWN-044), Plant Man(DWN-045), Tomahawk Man(DWN-046), Wind Man(DWN-047) e Yamato Man(DWN-048), como pretexto para dominar o mundo. Mega Man os enfrenta e os derrota, posteriormente infiltrando-se na fortaleza de Mr. X, que se revela como Dr. Wily. Mega Man, então persegue o Dr. Wily, infiltra-se em sua nova fortaleza e o derrota, finalmente entregando à justiça, o maléfico doutor, que fora preso em seguida. A paz na terra foi restaurada, por enquanto, pois Dr. Wily jamais desistiria de dominar o mundo. Mega Man 6 foi o último game da franchise para o NES.

Mega Man 7 (ロックマン7 宿命の対決!) – 1995(JP, US)

Mega Man 7 foi o primeiro game do Mega Man para o SNES. O enredo de Mega Man 7 se passa em um ano não-específico do século XXI. Graças aos brilhantes esforços de Mega Man, as ambições de dominação mundial Dr. Wily foram derrubadas, porém, Dr. Wily sabia que seus planos terminariam em fracasso, portanto, desenvolveu quatro novos Robot Masters, Freeze Man(DWN-049), Junk Man(DWN-050), Burst Man(DWN-051) e Cloud Man(DWN-052), em um laboratório secreto. Caso estes robôs não fossem contactados com seu mestre em seis meses, eles se ativariam por conta própria. Os quatro novos Robot Masters foram ativados e iniciaram um ataque à cidade. Mega Man fora escalado para solucionar o caso. Durante sua investigação, Mega Man se depara com Bass(SWN-001), que o desafia para uma luta. Depois que Mega Man derrota a primeira metade dos Robot Masters, Dr. Wily envia mais quatro poderosos Robot Masters para lidar com Mega Man, Spring Man(DWN-053), Slash Man(DWN-054), Shade Man(DWN-055) e Turbo Man(DWN-056). Durante a sua jornada, Mega Man depara-se com Bass, novamente, porém este estava muito danificado, devido ao confronto com Shade Man, então Mega Man o enviou ao laboratório do Dr. Light para reparos. Porém, Bass mostra sua verdadeira figura: Ele iniciou um ataque feroz ao laboratório do Dr. Light e roubou os implementos de batalha que este estava desenvolvendo, e Dr. Wily aparece no monitor, dizendo que Bass e Treble são suas criações e que Bass apenas ganhou a confiança de Mega Man para roubar os implementos de batalha do Dr. Light. Mega Man retorna à sua rotina de sempre: deter os planos do Dr. Wily para salvar o mundo e enfrenta cada adversário no seu caminho, inclusive Bass, até chegar ao Dr. Wily. Os dois têm uma luta, mas Mega Man sai vitorioso. Derrotado mais uma vez, Dr. Wily clama piedade e diz estar arrependido de seus atos, porém, Mega Man lembrara-se das vezes que deu chances ao Dr. Wily de mudar suas atitudes, porém ele continuou causando problemas para as pessoas, portanto, Mega Man decidiu que o melhor a ser feito era eliminar o maléfico doutor de vez. Dr. Wily então diz a Mega Man que como um robô ele não pode machucar humanos(primeira diretriz robótica). Eis que o castelo do Dr. Wily começa a ruir e parte dos destroços cai em cima do Dr. Wily, que é salvo por Treble. Eis que surge Bass, que zomba de Mega Man, dizendo “He who hesitates is lost”(Ele quem hesita está perdido) dizendo que irá voltar para infernizá-lo. Mega Man escapa do castelo do Dr. Wily pouco antes da explosão e passeia silencioso pelo friorento e escuro deserto, orgulhoso de si mesmo e sem olhar para trás, enquanto o castelo do Dr. Wily é rapidamente consumido pelas chamas.

Em Mega Man 8, em um ano não-específico do século XXI, dois robots misteriosos se enfrentam no espaço. Ao passo que estes robots colidem um com o outro, eles se lançam rumo ao planeta Terra, onde já estava acontecendo uma batalha entre Mega Man(o então herói da série clássica) e seu rival, Bass. Mega Man não demonstrava qualquer interesse em lutar, porém, Bass estava determinado a tudo. Mega Man solta um poderoso disparo que lança Bass contra o elevador panorâmico de um prédio, eis que surge Roll, em um carro flutuante, solicitando a Mega Man que a acompanhe. Bass se liberta dos fios do elevador, unicamente para assistir com grande indignação a fuga de Mega Man, querendo revanche pela derrota e pela humilhação que passou. Dr. Light se comunica com Mega Man, dizendo que detectou uma poderosa assinatura de energia desconhecida em uma ilha misteriosa e que o quer que seja essa energia, não pode cair em mãos erradas. Mega Man é enviado para investigar a tal ilha misteriosa, e posteriormente se depara com o Dr. Wily roubando frascos contendo a tal energia alienígena mencionada pelo Dr. Light, provavelmente o que restou de um dos robots que se enfrentavam no espaço. Mega Man deparou-se também com um dos misteriosos robots vindos do espaço, que devido a queda, estava muito danificado, por isso, Mega Man levou o robot para o laboratório do Dr. Light para reparos. Dr. Wily então envia quatro de seus robôs, Frost Man(DWN-062), Tengu Man(DWN-057), Clown Man(DWN-060) e Grenade Man(DWN-063), para dar cabo de Mega Man. Cada robô que o herói azul destrói, ele recebe uma cápsula contendo a misteriosa energia alienígena em forma de orbs púrpura. Mais tarde, Mega Man retorna de sua jornada ao laboratório do Dr. Light com os frascos que coletou enquanto este ainda realizava reparos no misterioso robot. Mega Man argumenta sobre as cápsulas que encontrou e o Dr. Light simplesmente responde que essa energia não pode cair em mãos erradas. Mega Man e o Dr. Light deixam a sala e o misterioso robot, que estava off-line, desperta, observa a cápsula de energia púrpura, enfurece-se e voa para fora do laboratório do Dr. Light. Mega Man o persegue até uma zona deserta onde possivelmente estaria uma das instalações secretas do Dr. Wily Mega Man se encontra com o misterioso robot e os dois se digladiam, eis que surge Proto Man e o misterioso robot foge novamente. Mega Man tenta se infiltrar na nova fortaleza do Dr. Wily mas é detido por um robô gigante que utiliza de cargas de elétrons para destruí-lo, porém, o misterioso robot, com quem Mega Man digladiou-se previamente aparece e liberta Mega Man, seu nome é Duo. Mega Man observa uma chama de energia púrpura na mão de Duo e este explica que essa energia púrpura se chama Evil Energy e que Wily estava usando esta energia para tornar seus robots mais poderosos. Dr. Wily envia mais quatro robôs para dar cabo de Mega Man: Search Man(DWN-061), Aqua Man(DWN-064), Sword Man(DWN-059) e Astro Man(DWN-058). Mais tarde, Mega Man se infitra na nova fortaleza do Dr. Wily e derrota um a um cada adversário em seu caminho, inclusive Bass, até chegar ao Dr. Wily, que tenta acertá-lo com um canhão de prótons, mas é detido por Duo, que se joga na frente, eis que surge Proto Man e retira Duo do lugar e segue-se uma batalha entre Mega Man e o Dr. Wily. Ao término da batalha, Mega Man sai vitorioso, porém, é atingido por uma cápsula de Evil Energy, correndo o risco de morrer, mas é salvo por Duo, que remove a chama púrpura de seu sistema, eliminando a de vez.

Mega Man 9 (ロックマン9 野望の復活!!) – 2008(US, JP, EU)

Os eventos de Mega Man 9 ocorrem em um ano não-específico do século XXI. Dr. Light, criador de Mega Man, é acusado de ser o autor de uma destrutiva e caótica rebelião robótica e o Dr. Wily declara que não tem qualquer envolvimento com essa rebelião. Mega Man retorna a sua rotina de sempre, desta vez para provar a inocência de seu criador e derrubar um suposto esquema de dominação mundial do Dr. Wily.

Mega Man 10 (ロックマン10 宇宙からの脅威!!) – 2010(US, JP, EU)

Os eventos de Mega Man 10 ocorrem em um ano não específico do século XXI. Robôs do mundo inteiro, afetados por um vírus desconhecido, começam a funcionar incorretamente e a agir estranhamente. O fenômeno é conhecido como Roboenza, uma doença que afeta somente aos robôs. Roll, a irmã de Mega Man, torna-se uma das vítimas da tal doença e a sua situação se agrava ao passo que a cura para tal doença não fora descoberta. Um mês após o surto, muitos dos robôs infectados enlouqueceram e tentaram dominar o mundo. Dr. Light desenvolve uma máquina para resolver o problema, porém, é atacado por um dos robôs infectados pelo Roboenza. Mega Man é escalado para a maior de todas as missões: derrubar os esquemas de dominação mundial do Dr. Wily, que sempre quer dominar o mundo, e recuperar a invenção do Dr. Light, a única coisa que pode curar os efeitos do Roboenza.

Nota: Há uma hipótese que aponta o Roboenza ou a Evil Energy como a origem do Maverick Vírus, porém, esta teoria não fora confirmada pela Capcom.